Nossas Notícias

Notícias e anúncios recentes

02 de Setembro de 2019 - Adesivos

Você conhece os principais tipos de cola química para seu dia a dia?

Quando precisa consertar alguma coisa, fazer um trabalho manual ou até mesmo colar algum tipo de tecido ou sapato a que tipo de cola você recorre? Existem muitas formas de aplicação, a Quimicolla vai mostrar como as colas químicas são extremamente ricas para o seu dia a dia. 

Existem muitas maneiras de classificar cola química, como pela sua origem, mecanismo de funcionamento ou componentes. Aqui, o que mais nos interessa é a  aplicação prática, por isso vamos nos centrar nos tipos mais comuns do mercado. 

Acetato de Polivinila (PVA)

A primeira vista o nome pode parecer meio assustador, mas essa é a cola química que melhor conhecemos. Aquela cola branca que usávamos na escola e até mesmo aquela amarela para madeira é a mesma PVA. Este tipo de adesivo tem uma emulsão com água. A união das peças só se realiza quando a água desta emulsão evapora. Ou seja, quando a cola seca. Ela não é tóxica e é bastante fácil de manusear. Se aplicada com cuidado cria uma união de boa resistência com baixo custo. Seu ponto fraco é que ela é solúvel em água. Então não serve para ambientes úmidos ou áreas externas.

Cianoacrilato

Se você já utilizou essa cola provavelmente já colou os dedos também. Colas de cianoacrilato têm uma quantidade imensa de usos diferentes, como:  aeromodelismo, reparo de objetos e até prototipagem de eletrônicos. Quando curada, essa cola fica bastante dura e quando dobrada, ela simplesmente quebra. É importante tomar cuidado com ela, já que seu tempo de cura é muito rápido. Um aviso  importante: o componente cianoacrilato reage mal com fibras naturais, como o algodão. A reação emite muito calor, e pode provocar queimaduras na pele.

Termoplásticos

Sabe aquela cola versátil, que usa usa para pregar coisas na parede, para maquete, entre outras finalidades. É essa ai, também conhecida como cola quente! Aquele bastão que vai no aplicador é um termoplástico. Isto significa que ele é um polímero que pode mudar de fase, ou seja ser derretido e depois retornar ao original sem estragar. É uma cola química versátil, que não sofre redução de volume na cura, como a PVA. Isso significa, que perde a massa da água durante a evaporação. A desvantagem é que depois do uso ela não lida bem com o calor, porque vai derreter novamente, se for a base de EVA. Mas existem termoplásticos de alto desempenho, com aplicação em alta temperatura para funções mais industriais. 

Cola química Epóxi

Esses são chamados termofixos, desse modo não amolecem com o calor. A uma determinada temperatura se decompõem. Seu processo de “cura” é feito através do uso de um agente catalisador. Como são compostos de duas partes, eles são classificados como bicomponentes. São muito resistentes após a cura: a água, ácidos e conseguem unir uma grande variedade de materiais entre si, mesmo em condições difíceis. A sua aplicação, entretanto, não é das mais fáceis. Uma vez misturado, essa cola química só pode ser aplicado por alguns minutos, e depois leva até 24 horas para curar completamente.

Voltar
Top